Solidão no Luto

Escrever sobre a solidão no luto… Primeiro, é importante ressaltar que o luto nem sempre vai estar ligado a morte de um ente querido como costumamos associar….
O luto pode ocorrer no término de um relacionamento, na perda de um emprego, processo de mudança, basicamente eu tudo que remete a perda de algo ou alguém. 
O luto remete ao rompimento de uma relação, sendo assim, é um processo que faz parte da vida. Em um primeiro momento, quando alguém passa pelo luto recebe o apoio de pessoas próximas, familiares, amigos e assim, sente-se confortado e fortalecido de alguma forma. Com o passar das semanas, meses e anos e com as demandas do dia a dia o enlutado pode sentir-se só pelo fato de que com o passar desse tempo as perguntas sobre: “Como você está?” , “Quer conversar?”, “Quer me encontrar?”, “Olha, o que você precisar eu estou aqui, viu?” começam a ficar mais espassadas e com isso é natural que a solidão, ou melhor, a sensação de estar só possa ficar mais evidente. Às vezes, o que ocorre é que muitas pessoas não sabem como continuar ajudando, outras não sabem lidar com este processo e com isso se afastam… Outras vezes, a correria do dia a dia não ajuda também. 
É muito importante que o enlutado saiba pedir ajuda também nos dias em que não se sente bem e a solidão bate, para que esse sentimento não seja cultivado dentro de si e crie um proporção fantasiosa, pois se pararmos pra perceber, o sentimento de estar só não faz parte da realidade quando nos damos conta e olhamos ao nosso redor. Ele é importante sim, não deve jamais ser menosprezado ou desvalorizado, mas digo que nem sempre é tão real. 
Encaramos uma sociedade que não é preparada para o luto e com isso, acaba sendo também uma sociedade que tem dificuldade em ajudar o enlutado. Quem não se questionou em algum momento da vida sobre: “Poxa, queria tanto ajudar mas não sei como e nem pode onde começar” , demonstre através de um abraço, de um simples “olha, eu estou aqui com você” , isso já faz toda a diferença para quem está passando por esse processo. 
Na perda gestacional ou neonatal, encaramos um luto não reconhecido onde frases como: “Calma, já já você terá outro bebê” são ditas com a intenção de ajudar mas que na verdade conseguem trazer ainda mais sofrimento para quem está passando por esta perda. Simplesmente porque ninguém substitui ninguém! 
Ouvimos também a comparação com a dor, não importa qual seja, dor é dor! Não existe dor maior e dor menor, cada um convive com a sua dor. 
Os pais que passam pela perda gestacional ou neonatal, passam pela dor da perda de um filho desejado, amado e esperado. 
Costumo dizer que uma gestação começa muito antes da sua concepção, ela começa no planejamento de uma gravidez, no sonho em que muitas vezes a mulher e o homem já carregam antes mesmo de estabelecer uma relação, e que quando se vêem grávidos já idealizam um bebê, o quarto, o enxoval, os mínimos detalhes em que são desconstruídos quando se deparam com a perda. 
O luto na perda gestacional ou neonatal, precisa ser reconhecido, e respeitado.

 

 

Juliana Gregório
Psicóloga
CRP 05/49936
luto
Anúncios