Cristina Hodge Bohm(equipe): designer gráfica

11088545_1589134628026255_4047652132629060068_n (1).jpg

 

Gostaríamos de apresentar o resultado da enquete e nosso folder de divulgação dos encontros presenciais, escolhido por vocês!
Agradecemos a nossa querida Kim pelo talento e dedicação com a causa e a todos que votaram pela manifestação da opinião e pela construção coletiva.
Acreditamos que através das enquetes estamos compartilhando e alinhando os nossos projetos e expectativas com vocês!
Sonhando juntos podemos transformar o nosso sonho em realidade!

11393149_1619399491666435_545263357375584246_n (2).jpg

Queridos seguidores, devido à repercussão da charge anterior com vários comentários do que pode ser dito numa situação de perda gestacional, resolvemos fazer a ilustração abaixo seguindo as recomendações de vocês!
Esperamos que sirva como um exemplo positivo para nortear amigos, familiares e profissionais de saúde como agir e falar numa situação delicada de respeito à dor do luto do outro!
Fiquem à vontade pra compartilhar, curtir, comentar! Esse espaço é construído coletivamente! Elaboramos este material a partir da colaboração de vocês, feito por vcs e pra vcs.
Agradecemos a nossa ilustradora @Kim Hodge Bohm pela sensibilidade, talento e solicitude com que atende os nossos pedidos!
Juntos somos mais fortes e vamos sensibilizar a sociedade para a perda gestacional!

12072831_1655104024762648_237830434860608914_n.jpg

 

Uma das principais dificuldades vividas por quem sofre perda gestacional/neonatal é o tabu que existe em torno da morte de um bebê. Nossa cultura não nos ensina a lidar com este fato. E quando ele acontece, descobrimos que poucos familiares e amigos sabem o que fazer para ajudar.
Na maioria das vezes, ouvimos frases que aumentam a nossa dor, ditas por aquelas pessoas que queriam consolar, mas acabam fazendo justamente o contrário, por incompreensão.
Costuma-se atribuir ao bebê uma importância menor do que aquela que é dada a outras pessoas, só porque sua vida foi mais curta. E assim, por engano, o consolo vem na forma de uma ofensa que quase ninguém consegue perceber que está praticando, ao sugerir que a concepção de um novo filho vai suprir a falta do que partiu.
Casais que enfrentam a morte de um filho antes ou logo após o nascimento se sentem ainda mais solitários, quando não recebem da sociedade autorização para o seu sofrimento.

Para contribuir com a sensibilização do tema, compartilhamos uma imagem que busca mostrar a forma como se sentem os pais que vêem seus filhos serem tratados como coisas possíveis de serem substituídas, enquanto gostariam que os demais tivessem a capacidade de enxergar que todo ser humano é único e especial, independentemente da quantidade de tempo que tenham vivido.
Esperamos que a cada dia possa haver mais respeito pelo luto de mães e pais que passam por essa experiência durante ou logo depois da gravidez.
Se você também se sentiu solitário e incompreendido na dor do luto, sabemos que não podemos alterar essa sensação passada, mas podemos tentar sensibilizar a sociedade para uma postura mais acolhedora e empática.
Nesse sentido, gostaríamos de perguntar o que você diria nos balões da charge abaixo. Vamos juntos construir uma cultura mais respeitosa, humana, solidária e acolhedora a perda gestacional?

Juntos somos mais fortes!

12141730_1655821061357611_2849949828226964715_n.jpg

Fizemos este post especialmente para você, nosso seguidor, que nos incentiva e encoraja a continuar lutando em prol da perda gestacional e neonatal!

Hoje somos mais de 12 mil pessoas sensíveis e engajadas em dar voz a dor do luto. E para celebrar com vocês, compartilhamos abaixo as frases das integrantes da equipe Do Luto à Luta sobre o que o movimento representa.
E gostaríamos de perguntar:
O que o Do Luto à Luta representa para você?
Estamos nos apoiando, amparando nesta jornada da dor do luto e convidando quem desejar para se juntar a nós, pq juntas somos mais fortes!

Juliana – O grupo Do Luto à Luta para mim significa esperança. Esperança de que toda dor sentida no luto pode ser ressignificada, traz aprendizado, faz com que possamos lutar para transformar essa dor em uma saudade gostosa, um amor único.
Este grupo veio para fazer com que eu treine ainda mais minha escuta como psicóloga, e fazer com que minha sensibilidade possa alcançar o coração das pessoas que fazem parte dele.
E de certa forma também veio para me ajudar a lidar com o meu luto, que não foi o mesmo que motivou a criação do grupo mas é um luto como filha.
Enfim, veio para me fazer crescer como psicóloga e como ser humano. Só tenho a agradecer a todos que fazem parte dele e a psicóloga Larissa que me recepcionou de forma tão calorosa. Muito obrigada meninas!

Flávia – Para mim o grupo Do Luto à Luta é o lugar onde me sinto acolhida e também posso exercitar o afeto pelos meus semelhantes. Um espaço de troca e enriquecimento conjunto. Onde crescemos, amamos e respeitamos. Onde também nos esforçamos para transformar o mundo e a nós mesmos em pessoas melhores.

Cristina – Do Luto à Luta para mim é um grupo que se importa com os outros e quer realmente mudar o mundo. Porque se todas as pessoas se preocupassem umas com as outras, grande parte dos problemas da humanidade seria resolvido.
O Do luto à luta é um exemplo a ser seguido e tenho orgulho de fazer parte dele.

Lotte – O grupo Do Luto à Luta para mim é um grupo de mulheres corajosas que não se deixam silenciar e que lutam para que outras mulheres e famílias não passem por tanto sofrimento quanto elas.

Larissa – O Do Luto à Luta para mim representa sinônimo de afeto, busca de sentido e aprendizado a partir da dor do luto, troca e apoio mútuos! Mais do que isso, simboliza um movimento interno de cura e crescimento enquanto ser humano!Além da possibilidade de encontros de almas com pessoas especiais e maravilhosas!

Clarissa – Do Luto à Luta significa p mim ressignificar a minha dor. Dar sentido a ela, poder ajudar as pessoas e também ser ajudada. Compartilhando a minha historia e a das pessoas do grupo. Um encontro de pessoas muito especiais e muito fortes que foi muito gratificante e especial para mim!

Helena – Do Luto à Luta pra mim significa uma grande oportunidade de entrar em contato com a essência das pessoas, de lutar contra o silêncio solitário e as iatrogenias que ainda ocorrem em nosso país. É um grupo de amor e disponibilidade, onde a união é sempre exaltada, afinal juntos somos mais fortes!

Maíra – Quando perdi meu filho, achei que era a única no mundo. O Do Luto à Luta me mostrou que eu não estava só e essa acolhida me ajuda a seguir em frente. Transformar o luto em luta por maior visibilidade à nossa causa e maior respeito às famílias que sofrem perdas gestacionais e neonatais é a melhor e mais generosa forma de ressignificar essa dor dilacerante e homenagear o filho que permanece vivo em meu coração. O Do Luto à Luta é um grupo pleno de amor, solidariedade, esperança e amizade, que fortalece a todos nós.

Dayana – Sempre acreditei que se é possível mesmo uma revolução, esta começa dentro da gente, na consciência das nossas potências. A partir disso, nos tornamos dispostos a cuidar verdadeiramente de nós mesmos, para que seja possível então saber enxergar e cuidar do próximo. Nos colocamos iguais, amigos, solidários e mais generosos. O grupo Do Luto À Luta me proporcionou redescobrir minha força e alimentou a coragem para cuidar de mim e das minhas dores. Eu pude sentir transbordar o amor em mim na vontade de cuidar e ajudar aos outros que também sofreram comigo. Agradeço mais uma vez a vida por me mostrar a importância de lutar por mais uma causa e conquistar um mundo melhor!

Thais (Temos que falar sobre isso) – Com carinho, sensibilidade e ações eficientes, o Do Luto à Luta está transformando a realidade para amenizar a dor da perda gestacional em todo o Brasil. Sem dúvidas um recurso necessário para acalmar os corações de tantas mães e famílias que choram a perda dos seus anjinhos. Um presente pra todos nós, de uma mãe guerreira que foi – literalmente – Do Luto à Luta. Grata por essa parceria e pelo aprendizado diário sobre um tema ainda tão calado!

12295489_1668362816770102_1316845987819769226_n.jpg

Do Luto à Luta: Apoio à Perda Gestacional e Neonatal convida nossos queridos seguidores para a nossa confraternização de fim de ano, no dia 12 de dezembro, sábado, a partir das 09 hs, na Lagoa Rodrigo de Freitas, Parque dos Patins, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro!
Pedimos que nos enviem email confirmando sua presença e se irá acompanhado para contatodolutoaluta@gmail.com, pois estamos planejando um lanche coletivo. Quem desejar pode levar algo para comermos e bebermos juntos.
Estamos planejando soltar balões em homenagem aos nossos filhos, rosa – menina; azul -menino e branco -não sabia o sexo, com uma carta, para quem assim o desejar.
Nosso objetivo com este encontro além de apresentar o grupo presencial, tirar dúvidas, falar sobre os planos e expectativas para 2016, é auxiliar na sensibilização à perda gestacional e neonatal já que estaremos num espaço público!
Um agradecimento especial a nossa artista Kim Hodge-Böhm pela dedicação, talento, apoio e carinho com a nossa causa, expressos neste lindo convite desenho!
Vamos juntos autorizar e reconhecer o luto na perda gestacional e neonatal!
Contamos com a sua presença para o nosso dia ser ainda mais poético e belo, com um céu colorido!

12307376_1670979329841784_2272190275801049609_o.jpg

Em parceria com o Temos que falar sobre isso divulgamos abaixo um exemplo de diálogo sensível, empático e acolhedor sobre a comunicação de uma notícia difícil como a perda gestacional para o filho mais novo (apenas 4 anos).

Vamos nos inspirar e deixar influenciar pela espontaneidade, sensibilidade e ternura da infância! Precisamos também adequar a nossa fala para quem estamos falando. Como neste caso, numa linguagem direta, concreta (sem figuras de linguagem), terna e objetiva (respondendo somente o que foi perguntado), a mãe atende a necessidade do filho de saber o que houve com o futuro irmão e própria necessidade dela, de falar sobre o luto!
E vcs que vivenciaram o drama da perda gestacional ou neonatal, o que diriam ou fariam num caso análogo?
Vamos nos empoderar, educar e sensibilizar para o luto!
Um agradecimento especial a nossa querida programadora visual Kim Hodge-Bohm pelo talento, dedicação e carinho com que vem se dedicando a nossa causa!
 12645189_1690443801228670_7243551985409930189_n.jpg

Queridos seguidores,

Para fechar com chave de ouro a nossa semana de apresentações oficiais das novas integrantes da Equipe Do Luto à Luta resolvemos compartilhar o nosso folder atualizado para divulgação dos encontros presenciais na cidade do Rio de Janeiro!
Estamos muito felizes, emocionados e sensibilizados com as mensagens carinhosas que estamos recebendo, ora partilhando suas histórias pessoais, tão profundas e amorosas, ora nos apoiando carinhosamente! Muito obrigada pela generosidade e confiança!
Agradecemos imensamente a toda a Equipe Do Luto à Luta pelo engajamento, empoderamento, sensibilidade, profissionalismo com que cada um vem doando sua disponibilidade física, afetiva e talento para a nossa causa! E claro a nossa querida Kim Hodge-Bohm, designer gráfica por mais um trabalho incrível!
Atualmente nos sentimos cada vez mais fortes, capazes e unidas através do apoio de cada um de vocês, nossos seguidores!
Gostaríamos de convidar você, seguidor, que deseja unir força e esforços conosco, doando seu talento, tempo e engajamento a fazer parte deste lindo movimento!
Interessados favor enviar email para contatodolutoaluta@gmail.com
Juntos somos realmente cada vez mais fortes!

12669574_1691225731150477_7193277587578317635_n.jpg

 

Queridos(as) seguidores(as),

Esta é a nossa primeira tirinha desenvolvida pela querida e talentosa designer gráfica, Cristina Hodge-Böhm, a quem somos muito gratas pela doação de seu lindo trabalho.

Sabemos que muitas vezes as pessoas falam coisas da boca para fora, às vezes sem pensar, ou até em uma tentativa de ajudar, mas, nós ouvimos com sentimentos de falta de empatia, um discurso vazio, vago e sem acolhimento.

Ninguém conhece a dor do outro, ninguém sabe o que estamos sentindo. Precisamos de espaço para falar dos sentimentos e nos sentirmos acolhidas(os) e respeitadas(os)!

E vocês, já passaram por isso? Como foi?

 

Duas_mocas (1) (1).JPG

 

Queridos(as) seguidores(as),
Hoje lançamos dois trabalhos em parceria com a querida e talentosa designer gráfica, Cristina Hodge-Böhm, a quem somos imensamente gratas pela doação de sua linda arte!

A segunda tirinha, que vocês conferem na imagem abaixo, tem como objetivo mostrar que precisamos de falas empáticas, acolhedoras, e que podem vir de onde menos esperamos. Queremos mostrar que mais importante do que o que se diz é o COMO se diz, se colocando disponível para ouvir e estar presente.

Compartilhem vocês também, assim estaremos mostrando as pessoas como merecemos e queremos ser tratadas(os)!

 

casal_bar (1) (1).JPG

Queridos seguidores,

Apresentamos hoje a tirinha psicoeducativa que a nossa querida e talentosa ilustradora Kim Hodge-Böhm fez a partir da sugestão de vocês aqui na fangape, sobre como se sentem e gostariam de ser tratados pelas outras pessoas. Agradecemos a participação de todos, ajudando-nos a dar voz a esse tema tão silenciado.

Esperamos que o compartilhamento desta imagem ajude nossos amigos e familiares a nos darem o acolhimento e a compreensão que precisamos nessa situação difícil que é a perda gestacional e neonatal.

Juntos somos mais fortes!
Equipe do Luto à Luta

Amigas_consolo_final (1)

Queridos(as) seguidores(as),

Hoje temos mais uma tirinha feita pela nossa querida e super talentosa Kim Hodge-Böhm, que dedicou seu talento para dar forma a nossa causa e sentimentos. Obrigada pela parceria!

Nesta imagem, feita em colaboração com nossos seguidores, a quem somos imensamente gratas pela contribuição, exploramos o que costuma ser falado quando acontece a perda gestacional ou neonatal; o que ouvimos quando falam isso e o que gostaríamos que fosse falado.

Compartilhe com seus colegas, amigos e familiares, assim estaremos contribuindo para quebrar este tabu e mostrar uma alternativa para àqueles que não sabem o poder de suas palavras. Vamos juntos(as)!

Casal_consolo_final

Queridos seguidores,

Divulgamos abaixo a tirinha psicoeducativa que a nossa querida e talentosa ilustradora Kim Hodge-Böhm fez a partir da interação com vocês (já que somos uma construção coletiva), sobre como se sentem e gostariam de ser tratados pelas outras pessoas. Agradecemos a participação de todos, ajudando-nos a quebrar o silencio sobre a perda gestacional e neonatal!
Esperamos que o compartilhamento desta imagem ajude nossos amigos e familiares a nos darem o acolhimento e a compreensão que precisamos neste momento tão difícil e delicado como a perda de um filho!
Juntos somos mais fortes!
Equipe do Luto à Luta

Casal_abraco_final (2)

Queridos(as) seguidores(as),

Trazemos para vocês mais uma tirinha elaborada pela talentosa e querida Kim Hodge-Böhm. Muito obrigada por, mais uma vez, representar nossos sentimentos de forma delicada e profunda!

Este material foi pensado para mostrarmos um exemplo de empatia entre um casal. Sabemos que cada um sente e demonstra o seu luto de uma forma diferente e única. O homem não precisa chorar para mostrar que se importa e está sofrendo, eles lidam de uma maneira diferente das mulheres. Precisamos permitir e compreender toda forma de expressão do pesar!

casalempatico

casalempatico2

Queridos(as) seguidores(as),
Nossa talentosa, querida e sensível artista Kim Hodge-Böhm nos presenteou com a imagem abaixo:

A MÚSICA QUE ME TOCA É….

Gostaríamos de saber qual música toca seu coração! Comente aqui e nos diga qual é a sua música especial. Queremos fazer uma playlist para vocês!

amusicaquemetocae