Meu Príncipe virou un Anjo

Meu nome é Carolina, tenho 19 anos, e hoje eu vim contar a minha história.

Tudo começou nas festas de final do ano de 2014/2015. Estava passando fim de ano com meu esposo, na época ainda meu namorado, e no dia 01 de janeiro de 2015 era pra minha menstruação ter vindo, e não veio… Era um sinal e já ficamos meio assim, mas não nos apavoramos. E os dias iam passando e nada da minha menstruação vir. Se passaram 17 dias e a gente na agonia. Quando no dia 21 de janeiro resolvi ir num posto de saúde fazer o teste de gravidez… E foi quando recebi a noticia da enfermeira que estava GRÁVIDA!

Naquele momento, foi um choque pra mim, eu tinha acabado de completar 17 anos, e ele ia fazer 19 anos, e nós tínhamos um pouco de medo da nossa família, como eles iriam reagir, enfim… Cheguei em casa, mandei mensagem para o meu esposo, dizendo que estava grávida. Claro, foi um choque pra ele também, mas até que levamos bem a noticia.

No dia seguinte, já iniciei meu pré-natal, estava com 7 semanas e 1 dia de gravidez, e a partir dali eu comecei a sentir os enjoos, que por sinal muito pouco, aquele sono infinito que a gestante sente, e fui levando a minha gravidez, que ainda era escondida, só eu e meu esposo sabíamos.

E quando eu estava com 3 meses, contamos para a nossa família, graças a Deus todos eles reagiram bem. Claro, vem aquele pequeno sermão, rs rs, mas nos deram muito apoio!
E aí parei de fazer o pré-natal no SUS e comecei a passar no plano de saúde, e o médico com quem fiz meu pré-natal me passou a primeira Ultrassom… Eu ia ver o meu pequeno pela primeira vez, ouvir seu coraçãozinho pela primeira vez. Estava com 17 semanas e 3 dias, e estávamos doidos para saber se viria um Arthur ou uma Alice, e o médico me disse que viria um menininho lindo. Naquele momento, fiquei tão feliz que acabei paralisando… Todos diziam que seria uma menina, mas sempre senti que eu carregava um menino lindo dentro de mim!

Foi uma gravidez muito tranquila, fazia o pré-natal certinho, tomava as vitaminas, eu era uma mãe muito preocupada, perguntava tudinho pro médico e tirava todas as minhas dúvidas. E aí foram se passando os meses, a barriga foi crescendo… E MUITO! Os chutes nas costelas, na barriga, as ondas na barriga de quando ele mexia, tudo aquilo me encantava, e a cada mexida dele, me fazia sorrir… E a todo momento, imaginava na hora meu parto, quando pegaria ele em meus braços, e ouvir o seu choro, e aproveitar cada momento. E foi o que eu fiz enquanto ele estava dentro de mim, aproveitei cada momento, cada segundo que ele esteve comigo!

No dia 07 de junho de 2015, fiz outra ultrassom, meu Arthur tava bem gordinho, tava com 960 gramas, e estava melhor do que nunca. O médico disse que estava tudo bem com o meu filho, e aquilo me deixava MUITO tranquila, tranquila em saber que meu filho estava bem, e que em pouco mais de 3 meses, teria ele em meus braços!

No final do mês de junho, eu viajei para casa do meu marido, na época meu namorado ainda… Ele morava em São Paulo, e eu na Baixada Santista, em Itanhaém. Ele não pode acompanhar a minha gestação de perto, devido á distancia, e também porque ele estava sem trabalho, mais sempre nos falamos por WhatsApp, e um ligava para o outro, enfim… Viajei para a casa dele, e tava tudo bem, o Arthur ouvia a voz do Pai e já começava a dançar na minha barriga, era tão lindo! E ai voltei para casa para fazer o chá de bebê, fiz o meu chá, tirei muitas fotos para sempre guardar aquele dia lindo comigo, e me diverti muito, foi um dia especial pra mim. E ai voltei para São Paulo para passar o resto das minhas férias escolares, porque na época eu ainda estudava, e fiquei até o dia 26 de julho. Nesse dia eu voltaria pra cidade onde eu morava, porque no outro dia eu tinha uma consulta de pré-natal, e fui no banheiro antes de sair, e vi que tinha algo estranho… Começou a sair de dentro de mim um corrimento amarronzado, e então falei pro meu marido e na hora fomos pesquisar na internet, e estava dizendo que era sinal de que queria nascer, mas até então não nos assustamos, porque eu não estava sentindo dor alguma, e o Arthur mexia muito.

No dia 27 de julho, fui passar na minha consulta, e nunca imaginei que seria a pior consulta da minha vida! Disse para o médico que estava saindo esse tal corrimento, e ele me disse que ainda tava cedo para ele nascer, porque eu estava com 33 semanas e 5 dias de gestação, e então ele foi me examinar… Não estava com dilatação nenhuma, ele fez exame de toque e nada. E então ele foi ouvir os batimentos do Arthur… Naquele momento eu só queria que Deus protegesse o meu filho, e que estivesse tudo bem, mas não estava. O médico não achava os batimentos dele, e naquele momento eu me desesperei, e pedi pra ele que salvasse meu filho de qualquer coisa. Na hora ele já pediu uma ultrassom de urgência, e eu estava desesperada, e a enfermeira tentando me acalmar, mais eu só iria me acalmar quando o médico dissesse que estava tudo bem com o Arthur. E aí fui para sala de ultrassom, e o médico estava muito quieto, e foi quando eu perguntei se estava tudo bem com o meu filho, e ai ele me disse que o meu médico me diria o que estava acontecendo… E ali eu tive a certeza que as coisas não estavam bem!

E naquele momento, depois que eu sai da sala de ultrassom, o meu marido me ligou pra saber se estava tudo bem, e eu disse que o médico não tinha achado os batimentos dele, e que tinha feito uma ultrassom de urgência, e eu senti a angustia que ele ficou só pelo tom da voz dele, e ai ele me disse para mim passar com o médico para ver o que ele diria, e então eu entrei no consultório… E foi ali que eu recebi a pior noticia da minha vida, que o meu filho tão amado por mim e pelo meu marido, não estava mais com a gente, e o médico queria entender o que realmente tinha acontecido, porque ele também ficou muito surpreso, e na hora ele já me encaminhou para a maternidade, para poder fazer uma cesárea. Meu marido me ligou quando sai do consultório, e dei a pior noticia da nossa vida, e ali o desespero tomou conta dele, a gente chorava muito, não sabíamos o que tinha acontecido, foi um choque muito grande.

Depois que eu dei a noticia pro meu marido, liguei para o meu avô ir me buscar e contei o que tinha acontecido, meu avô trabalhava perto da clinica em que eu fazia meu pré-natal, e na hora ele saiu da loja dele e foi me buscar… Fui para casa para arrumar minhas coisas, o que era pra ser o dia mais feliz da minha vida, se tornou o pior! Eu estava indo pra maternidade em Santos, e meu marido indo de São Paulo pra Santos pra nos encontrarmos lá. Chegando lá na maternidade, passei com outro ginecologista, e ele me disse que eu não poderia fazer uma cesária, não naquela situação, porque eu poderia contrair uma infecção pós-parto, e que teriam que induzir o parto normal. Às 16:30 hrs da tarde, os médicos colocaram o remédio para eu começar a entrar em trabalho de parto. Às 17:00 hrs eu comecei a sentir as primeiras contrações. Fiquei em trabalho de parto 5 horas e 15 minutos, e eu estava sentindo muita dor, e as enfermeiras fizeram exame de toque em mim e eu estava com 4 dedos de dilatação já, e uns 10 minutos depois, as 23:00 hrs daquele mesmo dia, a minha bolsa rompeu. E ai começou a correria de ir pro centro cirúrgico para o meu parto acontecer…

Chegando no centro cirúrgico, o médico e as enfermeiras já estavam lá, e ai me mudaram de uma maca para outra, e foi quando o médico começou a me dizer o que eu deveria fazer. E seguindo o que o médico me dizia, as 23:15 hrs meu Arthur nasceu, ele nasceu com 1,030 kg… Que vazio que eu senti, aquele silencio tão grande, sem ouvir o choro dele, eu só ouvia o meu choro e o meu desespero, e pedindo que meu filho voltasse, mas não era possível. Eu estava tão abalada que acabei dizendo ao médico que não queria vê-lo, a minha dor era tão grande que na hora eu optei em não ver ele, mas me arrependo muito!

Eu me recuperei bem do parto, não precisei levar pontos, pois meu Pequeno nasceu pequeno.

Eu agradeço todo apoio que recebi, especialmente o apoio do marido Allan, que esteve comigo a todo tempo, não me deixou 1 minuto se quer sozinha, esteve ali comigo o tempo inteiro, ele é o melhor homem do mundo!

Ainda não tivemos outro filho, vamos esperar o tempo de Deus, e a hora certa para termos outro filho. Vai fazer 2 anos, agora dia 27 de julho, que meu Principe virou um Anjo, e com a força que Deus nos deu conseguimos nos recuperar, mas sentimos muita falta do nosso filho.

Arthur, saiba que a Mamãe e o Papai te ama mais que tudo na nossa vida, você é o Nosso Anjo que nos guia! Eu te amo meu filho! ❤

Relato da mãe Carolina Lopes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s