Letícia – nossa Alegria

Eu agradeço a Deus todas manifestações de força que venho recebendo neste um ano. Há um ano em 11/07 completei meus 30 anos, tão esperados 30. Meu dia amanheceu lindo e feliz, estava plenamente realizada nas minhas 32 semanas de gravidez. Meu dia não terminou da forma sonhada – na minha consulta de pré natal percebemos que nada estava bem e uma ecografia confirmou o que eu jamais queríamos acreditar: minha filha tinha morrido.

Bom tudo que se passou desde a confirmação da sua partida é vago – minha mente bloqueou. Lembro de termos implorado a Deus para ela viver. As horas que sucederam até o seu nascimento foram de muita dor e esperança, pois rezávamos e implorávamos a Deus um milagre que ao nascer ela chorasse e vivesse. Não foi o que aconteceu.

A previsão é de que, induzindo o parto prematuro, ela nascesse em alguns dias. Mas não, na manhã do dia 12/07, aniversário do papai Maikel, ela nasceu como um presente pra nós, sem vida, sem choro, uma sala de parto silenciosa, tudo que nenhuma mãe e pai planeja. Pudemos pegar, beijar o quanto deu, acariciar a nossa princesinha, mas não pudemos ficar com ela, aliás ela nem estava mais ali. Sabemos que ela ta no céu num lugar lindo muito melhor e que um dia vamos nos encontrar, mas não imagine ser fácil enterrar uma filha, tão amada, tão planejada e esperada.

Os dias foram passando em um misto de enorme saudade, saudade até do que não vivemos, raiva, pois em muito momentos me culpei, culpei o mundo e até a Deus. Nada disso trouxe paz. A paz veio vindo com as lembranças boas que ficaram, com a esperança de que a passagem da Letícia não poderia ter sido em vão.

Levamos mais de 7 meses investigando para então chegarmos ao diagnóstico de que a trombofilia causada pela SAAF em mim foi a causa – minha filha morreu e me salvou. Deveria ser o contrário e daria tudo para que tivesse sido assim, a ordem inversa da natureza é cruel.

De lá pra cá exige-se viver de outra forma, com outro significado.Nossa filha nos ensinou e continua a nos ensinar – temos um anjo no céu zelando por nós.

Então este ano ao completar 31 sou eu, mas diferente. Hoje é um dia especial 12/07 é a data dos meus dois amores, Pai e filha com mesma data de aniversário. Com um eu comemoro na Terra e a outra basta eu olhar pro céu. Comemorar aniversário pra nós dois é um pouco diferente agora. Os dias 11 e 12/07 nunca mais serão os mesmos em minha vida e do Maikel. Como ele me diz: acho que somos predestinados e quis Deus que nossos aniversários também ficassem marcados para sempre com a nossa anjinha Letícia. Passamos por uma tempestade e agora vamos atrás do nosso arco iris, a chegada de um novo ano pra nós é um novo cliclo, um recomeço.

“Quando a vida bater forte e a sua alma sangrar.
Quando esse mundo pesado lhe ferir, lhe esmagar.
É hora do recomeço. Recomece a lutar.
Quando tudo for escuro e nada iluminar.
Quando tudo for incerto e você só duvidar.
É hora do recomeço. Recomece a acreditar.
Quando a estrada for longa e seu corpo fraquejar.
Quando não houver caminho nem um lugar pra chegar.
É hora do recomeço. Recomece a caminhar.
Quando o mal for evidente e o amor se ocultar.
Quando o peito for vazio e o abraço faltar.
É hora do recomeço. Recomece a amar.
Quando você cair e ninguém lhe amparar.
Quando a força do que é ruim conseguir lhe derrubar.
É hora do recomeço. Recomece a levantar.
E quando a falta de esperança decidir lhe açoitar.
Se tudo que for real for difícil suportar.
É hora do recomeço. Recomece a sonhar.
É preciso de um final pra poder recomeçar.
Como é preciso cair pra poder se levantar.
Nem sempre engatar a ré significa voltar.
Remarque aquele encontro. Reconquiste um amor.
Reúna quem lhe quer bem. Reconforte um sofredor.
Reanime quem tá triste e reaprenda na dor.
Recomece! Se refaça! Relembre o que foi bom.
Reconstrua cada sonho. Redescubra algum dom.
Reaprenda quando errar. Rebole quando dançar.
E se um dia lá na frente, a vida der uma ré,
Recupere a sua fé, e recomece novamente.”

Bráulio Bessa

Relato da mãe Débora de Vargas Schütz

Anúncios

Um comentário em “Letícia – nossa Alegria

  1. Mamãe Debora, muita paz e luz no seu coração e no coração do papai….também conhecemos essa dor, Alice partiu 4 dias após o aniversário mais especial da minha vida, e como você disse no texto o aprendizado com nossos anjinhos é eterno. Espero que vocês fiquem cada dia mais fortes. Abraços

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s