Ainda sobre o dia das Mães

Dia das Mães chegando, essa é a nossa dor.

É só mais uma data comercial, poderia ser só mais um domingo, mas é uma data que dói lá no fundo do coração para quem não está com seu filho aqui fisicamente.

Quando ainda estava no hospital, logo depois que ele nos deixou, lembro que não queria ligar a televisão de jeito nenhum. Sentia uma dor absurda com cada comercial onde apareciam crianças, grávidas e “afins”. Em um dia no quarto, quando meu marido sugeriu que ligássemos a TV, dividi com ele meu ressentimento, e concluí naquele momento o quanto o mundo era cruel com pessoas que perdiam seus filhos. Com todo o amor na sua fala, ele me fez entender que o mundo é cruel com todas as pessoas que perdem algo ou tem alguma limitação, que aquele sentimento que eu estava experimentando não era exclusividade minha. Que o mundo é cruel com quem não pode comer doces, com quem não tem um companheiro(a), com quem não tem condições financeiras extremas, com quem tem uma doença grave, com quem não pode andar, com pessoas que muitas vezes nem imaginamos as suas dores. Naquele momento ele me fez exercitar a empatia de uma forma que nunca pensei que seria capaz. Tantas pessoas a minha volta tem muitas dores, dores sem fim, como a minha.

Então, esse domingo é dia das mães, é a minha dor, é a minha história e hoje a minha realidade. Continuo evitando os comerciais e programas que incluem bebês, e se fosse possível dormiria os primeiros 15 dias de maio, somente para não precisar passar por essa época do ano. Mas é assim, cada um com suas dores e é isso que nos torna especiais. Precisamos passar por esses momentos para nos tornarmos mais fortes, para ter compaixão e nos transformar.

O fato é que não podemos mudar nossa história, mas podemos mudar a forma como nos comportamos com ela. Um abençoado domingo de dia das mães para todas nós, mães de Anjos!

Quem escreve é a Greice, leitora assídua do Luto à Luta e muito grata pelo lindo trabalho. Meu pequeno Antônio nos deixou ao nascer há 4 anos, na mesma data também fiz uma histerectomia, tirando a possibilidade de gerar outro filho biológico, mas não nos impedindo de ter filhos gerados no coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s