Quatro Letras

Trechos do relato “Quatro Letras” do livro Histórias de Amor na perda gestacional e neonatal

Autora: Flavia Camargo

Logo no início das tentativas, em 2014, engravidei. Como tinha planejado tudo nos mínimos detalhes, assim que recebi o resultado positivo do teste, comecei a escrever cartas para o meu bebê com o objetivo de registrar sua história desde a época da concepção. Não tive enjoos e a gestação do Igor transcorria sem problemas. Eu me consultava periodicamente com a obstetra e a nutricionista, seguia adequadamente as recomendações e meus exames estavam ótimos. Só que fui surpreendida na 33a semana, e o que estava perfeito, se transformou no extremo oposto.

No dia 7 de janeiro de 2015, preocupada com o fato de o bebê estar quieto desde o dia anterior, dei entrada no hospital para fazer uma ultrassonografia. Eu me sentia muito bem e não teria buscado atendimento se não fosse unicamente por causa da diminuição dos movimentos fetais. Depois de um tempo, fiquei sabendo que ir ao hospital foi o que salvou a minha vida. Quando passei pela triagem da emergência, minha pressão estava 13×8 e, quarenta minutos depois, pulou para 24×7. Nesse pequeno intervalo, senti uma dor abdominal muito forte e meu fígado rompeu. O Igor precisou nascer imediatamente – com sete meses e meio – pesando 1,4 quilo e medindo apenas quarenta centímetros.

….

Mães e pais que perdem um bebê tão prematuramente tendem a se considerar culpados, mas eu decidi não adotar essa conduta, porque ela só pioraria as coisas. Estou certa de que não deixei de fazer nada que estava ao meu alcance e concedi a mim mesma o direito de não carregar uma culpa que não me pertence. Depois de um tempo, constatei que usufruir dessa liberdade e enxergar as coisas assim, foi essencial para manter o meu equilíbrio.

A morte do Igor nos fez descobrir que ser mãe e pai é maravilhoso, independentemente de quanto tempo essa experiência dure. Ele nos fez conhecer um amor incondicional, que não precisa ser retribuído para permanecer pulsando. Um amor que ultrapassa as barreiras físicas e nos faz enxergar além do efêmero e circunstancial. Esses aprendizados são muito preciosos! Perceber que as perdas também provocam ganhos é uma lição que podemos tirar até mesmo das situações mais duras da vida; assim, elas se tornam leves.”

Trechos do relato “Quatro Letras” do livro Histórias de Amor na perda gestacional e neonatal

Autora: Flavia Camargo – que também é autora do livro “Quatro Letras”

Para comprar um exemplar do livro “Histórias de Amor na perda gestacional e neonatal”acesse: http://livraria.bookstart.com.br/historiadaperdagestacional

Para comprar um exemplar do livro “Quatro Letras”, acesse: http://livraria.bookstart.com.br/quatroletras

E para acessar a página da Flavia Camargo no Facebook, acesse: www.facebook.com/quatroletrasflaviacamargo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s