Sweet Angel – Maria Sophia

Oi… Eu quero compartilhar com vcs o milagre que vivi nesse ano de 2016. Eu me chamo Rosângela e tenho 37 anos. Moro no interior do RN e tive uma bebê com Patau completa. Mas bem, vamos iniciar pelo começo: há 19 anos atrás eu tive minha primeira filha. Ela nasceu saudável e cresceu da mesma forma. Quando ela estava com 15 anos, em 2013, engravidei novamente. Com 9 semanas tive aborto espontâneo retido. A primeira maior dor que já senti. No ano seguinte, mais uma tentativa, e de novo, com 8 semanas outro aborto espontâneo retido. A minha maior segunda dor, dessa vez um pouco maior pq tive contrações fortes. Quando pensamos que não teríamos mais um bebê, em outubro de 2015, tivemos nosso positivo. Uma alegria sem tamanho tomou conta de todos da família pq todos lutaram junto conosco por essa bênção. Minha gravidez transcorreu normalmente, fiz todos os exames e nunca vimos nada que preocupasse. Até mesmo na morfológica não acusou nada! No meu oitavo mês de gestação, a minha Maria Sophia (Sweet Angel) apressou-se em nascer e hj eu entendo o pq. Entrei em trabalho de parto no dia 21 de maio, passei o dia 22 em repouso com contrações leves. No dia 23 fui ao GO e já havia dilatado 2 cm. Como não temos UTI Neo aqui recebi o encaminhamento para a cidade mais próxima. Deveria ir no dia seguinte, mas às 18h40min a bolsa estourou e as contrações aumentaram. Fui para o hospital da outra cidade e lá fiquei a noite inteira em observação. Na manhã do dia 24, ainda sofri muito e quando não aguentei mais os médicos decidiram fazer a cirurgia. E às 13h35min, veio ao mundo minha bênção divina. Ela nasceu roxa por causa do tempo de bolsa rota, com 2.570kg e 46cm. Teve apgar 5 e 6. A surpresa veio nesses minutos em que são feitos os primeiros atendimentos. Viram que ela tinha malformações e problemas respiratórios graves, não queriam que eu visse o meu maior amor. Mas eu vi. E amei. E achei a mais perfeita de todas. Linda. Um anjo de Deus. Ela foi levada para a UTIN. E na minha primeira visita recebi a primeira bordoada: minha filha não viveria até o final de semana. E chegou o final de semana e ela continuava lá, lutando. Foi então que nos apresentaram essa síndrome. Patau – o que é? Como vamos fazer? Foram feitos os exames necessários, ela foi medicada e enquanto esperamos o resultado, minha Sweet Angel ia vencendo um a um dos obstáculos: paradas cardiorrespiratórias, queda de saturação, bactéria, infecção, sangramento pulmonar, extubações não programadas, colestase e muitas outras dificuldades que ela venceu dia a dia. Por dias vivemos um milagre, já que o que mais ouvimos foi “é incompatível com a vida”. Até que dia 01 de julho confirmamos o diagnóstico: Patau completa. Nem isso me abalou, pois o Deus do impossível havia me abençoado grandemente. Passei. 48 dias ao lado dela, vivendo um amor que não tem dimensão. Em nosso último dia juntas, tivemos um momento inesquecível – ela esteve em meus braços pela segunda vez e nos braços do pai dela pela primeira, pois a recomendação era manuseio mínimo. Ficamos a tarde com ela, e essa foi nossa despedida, sem saber que seria nosso último dia juntos. Sentimos paz e amor nessa tarde. Sentimento de leveza ao deitar e não sabíamos o motivo. Até que às 6h45min do dia 11 de julho, depois de 40 min de luta da equipe da UTIN em reanimar ela, foi aberto o protocolo do óbito. Essa foi a maior de todas as dores da minha vida. Minha bebê após as asas estarem prontas, voltou pro céu. E eu fiquei aqui, com essa dor que não passa. Em sua rápida passagem ela me ensinou a não ser egoísta (48 me doei a ela e a todos os que estiveram cmg naquele hospistal), amar sem limites, ter mais fé, me aproximar mais de Deus, aceitar sem brigar e questionar o motivo de cada coisa. Não teve uma pessoa que tenha conhecido ela ou sua história que não tenha se encantado e amado ela junto com a gente, até mesmo a equipe de enfermagem do gospital que não deve se apegar viveu esse amor e sofreu com a gente. Maria Sophia Sweet Angel abrandou até o coração mais endurecido de nossa família, ele caiu de amores pelos lindos olhos azuis dela. Ela aproximou mais a minha família, nos fez esquecer as diferenças. E todos, avós, tios e tias, primos e primas, a irmã (que a amou e ama mais do que td), e nós seus pais (Marcus e Rosângela), e nossos amigos, vamos pra sempre conviver com a saudade que machuca, mas temos a ctz de que ela está bem e feliz a cuidar de nós todos pq da mesma forma ela nos amou, afinal ela lutou até chegar ao seu limite para estar conosco. É uma história de amor indescritível. Foi o milagre que pedi a Deus e Ele atendeu. Em 48 dias Deus agiu em nossas vidas. Obrigada Deus! Te amamos Maria Sophia. Pra sempre Sweet Angel. Ela realmente era um anjo. Cumpriu sua missão e se foi, com os primeiros raios de Sol de uma manhã de julho…

Relato da mãe Rosângela Sâmara

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s