Meu arco iris Giovanna!

Minha Giovanna, hoje com 1 ano e 3 meses. Tive uma perda gestacional as 9/10semanas. E 8 meses depois descobri esse lindo ser em meu ventre. Não, ela não substituiu meu anjinho que é mais uma estrelinha no céu, nem apagou a dor da saudade, mas me trouxe de volta a esperança de que a vida continua, pois em toda minha gestação senti a proteção do meu anjinho sobre sua irmãzinha.

Bom estava tentando engravidar a um tempo, e quando finalmente minha graça chegou me senti nas nuvens.
Depois de uma comemoração regada a muito álcool por parte dos integrantes da festa, passei uma madrugada sem poder descansar, acordando em meios aos gritos das pessoas alcoolizadas, tive muitos sustos e fiquei muito contrariada. Pela manhã, ao acordar, vi sangue na minha calcinha, daí começou mui desespero. As pessoas que me acompanhavam simplesmente me diziam “isso é normal”.

Mas não foi, não cessou, no outro dia fui ao médico, foi constatado um começo de aborto, fiquei uma semana usando meditações, acompanhando os níveis de beta sanguíneo e pedindo a Deus que me concedesse o milagre.
Os níveis de beta voltaram a crescer, o sangramento tinha cessado, fui fazer uma ultra e pude ouvir o som mais lindo do universo, o som do pequeno coraçãozinho batendo.

Só que aquele seria o último contato com meu anjo, 15 dias depois em mais uma ultra som, veio a pior notícia.
Não haviam mais batimentos, o médico tentou me ” enganar” dizendo: ” volte daqui a mais 15 dias, pois ainda não há batimentos.” Assim, seco e duro, e eu questionei “um coração não bate, para de bater e volta”. Eu caia em um lugar escuro em que ninguém me ouvia. Não tive apoio de nenhum dos médicos, fui induzida ao aborto que estava retido, depois de 5 dias internada, não aguentava mais aquele sofrimento. Até que uma Médica, experiente por sua idade me falou “Maezinha vá pra casa e espere o tempo da expulsão”.

E eu fui, depois de 5 dias de dores, sangramentos e contrações, “pari” aquele pequeno ser sozinha no banheiro da minha casa. pude ver onde estavam sendo projetados seus braços e pernas, sua coluna cervical, do tamanho da minha mão.

O enterrei na roseira mais linda do jardim do  meu quintal. O luto foi muito duro, as palavras proferidas doíam cada vez mais “era só um conjunto de células” “nem um bebe era ainda” ou pior “foi melhor assim, ja pensou se vinhesse doente?”.

A perda gestacional é muito difícil de ser aceita pelos outros pois o nosso filho só existiu para nós, e quando mais cedo a perda menos importante é para sociedade.

Hoje tenho minha Giovanna (presente de Deus), que descobri em meu ventre 8 meses apos a partida do seu irmãozinho, foi uma gravidez dificil pois muitos não acreditavam que ela fosse vir ao mundo. Mas fomos fortes, mais ela do que eu.

Não, ela não me fez esquecer a dor nem a saudade do meu primeiro filho. mas me ver que o mundo tem varias cores, e foi assim que ela surgiu  no primeiro dia que a peguei nos braços, como um lindo arco-iris colorindo nossas vidas.

Depoimento enviado pela mãe Rosália

Anúncios

Um comentário em “Meu arco iris Giovanna!

  1. Sinto muito por sua perda. As pessoas tem muito o que aprender sobre a dor que sente alguém que vive a perda de um filho, ainda que para alguns não tenha existido. Você sempre será mãe desse bebê. Obrigada por dividir sua história conosco. E ter recebido a Giovana, é ter uma oportunidade de colorir mesmo a vida.
    Forte abraço!!! Estamos aqui pro que precisar, nunca se esqueça que juntos somos mais fortes!!!

    Psicóloga Regiane Cunha Vilela da Rocha – Equipe Do Luto à Luta
    CRP 06/113613

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s