Mais amor com a minha dor, por favor

Meu nome é Christiane, tenho atualmente 34 anos, moro em Santa Luzia, Minas Gerais.

bem a seis anos atrás estava realizando o meu único sonho que tenho na minha vida, descobri que estava gravida, não sabia exatamente de quantas semanas pois apenas tive a oportunidade de descobrir através de exame, e não deu tempo de começar a fazer o pre natal, pois comecei a passar tanto mal, dores horríveis que parecia que iria morrer e inexplicável descrever a intensidade dela,enfim em muitas idas a médicos  e avaliações como toques não detectaram o porque dos sintomas.ate que por conta própria fui fazer um exame endovaginal  e descobri que minha estava com gestação ectópica e que já estava em estado avançado de hemorragia, como estava sozinha sai sem chão do consultório ,deixei pra trás minha carteira de vacina e fui a pé da cadeira ate a área hospitalar para o hospital santa casa e la fui levada as pressas para a sala de cirurgia,sozinha ,com medo , sem saber ao certo o que iria acontecer, me fizeram uma cesária ,fiquei 5 dias internada e perdi minha trompa direita.bem desde este tempo sempre tenho ido ao ginecologistas ,mesmo porque queria engravidar novamente e não conseguia .fiz um exame a histerossalpingografia e descobri que minha unica trompa a esquerda estava obstruída e que a possibilidade de engravidar  novamente era só através de uma fertilização. Nossa nem precisa dizer o quanto mim entristeci,e desde então venho lutando para conseguir, cheguei a ir em uma clinica de fertilização mas o tratamento não correspondia com minhas condições financeiras então não pudi realizar.

   ah cheguei a fazer três cirurgias pra tirar polipos, e desde então até hoje estou na luta pra que eu possa conseguir ser encaminhada para o hospital das clinicas o pam. Bem este ano em março dia 6 viajei com meu esposo em uma viagem programada desde o ano passado e la comecei a sentir muita azia.mas achei que era por causa da comilanças e ao retorna comecei a a sentir meus seios doloridos que nem podia encostar ,e muito sono e cansada ,e a fome ,muita fome,indo ao medico mim passou exames e ao fazer não fui buscar ,mas tinha um que era o endovaginal que não conseguia de forma alguma conseguir encontrar um horário, até que consegui e na hora do exame .relatando a medica o que já relatei a vcs sobre a gravidez ectópica, ela sorri e de repente aparece no visor da tv um bebe ,nossa foi emocionante e inesquecível ,as lagrimas escorreram na hora , não via a hora de sair da sala e dizer ao meu esposo que mim aguardava la fora que estamos grávidos, mas não pudi dizer assim porque por mais que o bebe estava bem, e saudável,teria que tira lo ,porque estava sendo gerado fora do útero,nossa foi um choque e assustador ,como assim aconteceu um milagre e terei que matar um bebe saudável,ah e de 3 meses.formadinho..

      vou resumir porque ate chegar no finalmente do procedimento aconteceram muita coisa. Então vou direto ,fui acompanhada por um bom medico e muito ser humano,no hospital sempre, que conversou comigo iria abrir minha barriga e se tiver chance do bebe continuar iria deixar porque as vezes meu útero poderia ser dividido e através do exame não seria capaz de ver essa possibilidade, então fui fazer a cirurgia que durou cerca de 5 horas e tive que tomar 1 bolsa de sangue.

no dia seguinte o medico com todo carinho me explicou que infelizmente não foi possível deixar o feto, porque estava grudado no meu intestino, pelo qual também tive que levar alguns pontinhos, e que não foi possível salvar a trompa embora o feto não estivesse totalmente nele. Hoje então não tenho mais as trompas, apenas o útero e ovário, e na super corrida pra ainda entrar na fila do sus, pois este é um grande sonho. Ainda dói dói muito. E não consigo acreditar que perdi meu milagre, as vezes arrependo de ter permitido tirar porque me sinto vazia, angustiada e triste. Somente quem passa por isso sabe do quanto sofremos e pior ainda quando não somos respeitadas como alguém que perdeu alguém tão importante, pois ainda para a sociedade para viver um luto, é preciso que nasça, ao contrário e como se não fosse algo significativo, dificultando a dor porque além da dor da perda, a dor da incompreensão.

Anúncios

2 comentários em “Mais amor com a minha dor, por favor

  1. Boa tarde Crhistiane. Sentimos muito por suas perdas. Retomar a vida após uma perda gestacional é realmente muito difícil, pois como você disse além de lidar com a perda, ainda tem que lidar com a incompreensão das pessoas. Obrigada por dividir sua história conosco. Força pra seguir sua caminhada, conte conosco para o que precisar. Vamos juntos buscar mais amor e respeito com a dor da perda.
    Juntos somos mais fortes!!!

    Psicóloga Regiane Cunha Vilela da Rocha- Equipe Do Luto à Luta
    CRP: 06/113613

    Curtir

  2. Oi sinto muito suas perdas, e por mais difícil que pareça, não perca a esperança e a sua capacidade de sonhar!!!
    Creia que para Deus, nada é impossível.
    Forte abraço, estarei por aqui orando e torcendo por você!!! 😍

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s