Não há final

Um ano e meio depois do nascimento do Igor, escrevo esse poema para ele:

Você passou por mim como um lampejo
Uma luz que continua a me acompanhar
O tempo voa e mesmo assim eu vejo
O seu brilho que jamais vai se apagar

Depois que você esteve aqui tudo mudou
Não sou mais quem eu costumava ser
Mesmo breve sua passagem me marcou
É simplesmente impossível te esquecer

Você chegou e foi logo me dando tchau
Revelando o valor que cada segundo tem
Com sua partida aprendi que não há final
Para o sentimento que temos por alguém

O amor é mais forte do que se imagina
Tem o poder de eliminar uma ausência
Quando a gente ama o vínculo não termina
É ele que eterniza em mim a sua existência

Heart-lantern

(Rio de Janeiro, 07/07/16 – Flavia Camargo, autora do livro “Quatro Letras”)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s