Ser mãe de um anjo

Meu nome é Andreia, tenho 24anos e sou portuguesa. Acompanho “DO LUTO Á LUTA” faz tempo. Foram todas vocês que me encorajaram a partilhar também minha história.
A minha história começa num momento mais feliz de minha vida. Estava em uma relação de quatro anos, tinha meu emprego, minha família era uma família muito feliz.
Em Novembro de 2014, minha felicidade estava se completando, com o maior sonho da minha vida. Eu ia ser mãe. Não podia estar mais feliz. Não teria sido planejado, mas eu estava agora realizando meu sonho!
De um momento para o outro as coisas começam a mudar. Minha relação não sei mais o que aconteceu. Só discutíamos e falei não querer isso pra mim nem pra meu filho que viria a caminho. Dei como terminada a relação na expectativa que as coisas mudassem agora que iamos ser pais. E as coisas mudaram mesmo. Ele não estava nem aí pra nós, nem me acompanhava mais nas consultas.
Estava começando a ficar triste, mas nada me derrubava, pois o melhor estava comigo, a crescer dentro de mim.
Em Dezembro perdi meu emprego. Meu patrão ia regressar ao Brasil e fechar meu sustento ao longo de 2anos. Por essa altura, tudo lá em casa estava de pernas pro ar. Meus pais também já não se entendiam. Meu pai saía e só voltava de madrugada. As discussões eram constantes.
E eu tentava continuar levando minha vida, me sentia um pouco só no meio dessa situação, mas eu não podia me deixar ir abaixo. Eu tinha que lutar por alguém.
Minha Princesa estava crescendo. Tudo estava indo bem até ao dia em que tudo mudou.
Era sexta-feira, dia 13 de Fevereiro de 2015. Eu estaria agora grávida de 25semanas. Mas nesse dia algo em mim não estava bem. Eu não tinha qualquer dor, mas algo no meu coração não me deixava sossegada. Decidi ir no hospital.
Esperei por minha vez, estava em uma ansiedade muito grande. Me chamaram, fizeram a ultrassom, mas não estavam conseguindo ouvir o coração da minha princesa. A enfermeira falou “calma mamãe, por vezes pode acontecer, mas vamos já fazer uma eco, está bem?”. Fui levada para sala de ecos e uma outra enfermeira começa olhando muito séria pro monitor onde estava minha filha… eu só perguntava se estava tudo bem, mas não havia meio de me responder. Até que falou que iria chamar a doutora. Meu coração só batia sem parar. E aquele que eu queria ouvir, eu não estava conseguindo.
A médica chegou e logo sem uma palavra começa me examinando. Voltei a perguntar, por esta altura já a chorar, “está tudo bem com minha bebe?”
– “Infelizmente não. O feto não tem mais batimento cardíaco. Lamento.” Foram estas suas frias palavras.
A minha vida tinha acabado ali. Só me apetecia gritar. Eu só queria morrer.
Aqui começa a fase mais difícil. Fui levada pra sala de partos, onde durante 14horas só ouvia bebés nascendo dando seu primeiro choro. Eu sabia que não iria ouvir aquele choro, e nada estava doendo mais.
No dia dos namorados (14 de Fevereiro) em Portugal, eu perdi o maior de todos eles.  Ainda hoje eu sonho e tenho pesadelos com tudo isso.
O mais difícil foi ter de enterrar meu amor. Eu me sentia a sufocar. Eu só queria ir com ela. Meu Deus, o quanto eu duvidei de você por aqueles dias. Me perdoa, mas o sofrimento a gente não deseja pra ninguém.
Em Maio de 2015 eu tive o resultado da autópsia. Trombofilia, foi quem levou minha menina.
Hoje eu tenho medo de voltar a ser mãe. Com todos os tratamentos que me falaram que teria de fazer, mas eu não sou capaz. Só pensando “e se acontece de novo?!”
Ainda hoje não me é fácil lidar com bebezinhos, especialmente meninas.
Estou sendo medicada porque entrei em depressão e ainda hoje, passado 1ano e 3meses é muito difícil levar a vida pra frente. Estou sendo acompanhada por psicóloga e psiquiatra. No final do ano de 2015 acabei internada numa clínica. Eu tentei suicídio.
De nada me arrependo mais do que isso.
Hoje só quero saber que onde quer que minha Princesa esteja, que esteja feliz e orgulhosa da mamãe. Cometi muitos erros, mas por ela eu estou tentando retomar minha vida. Foi-me roubada a oportunidade de um abraço, de um sorriso, de um cheiro, de um choro… mas tudo o que eu puder fazer agora. Isso ninguém me impede.

“Foi em um momento de magia, que eu gerei a minha princesa Lara Sofia” 👑🎀

Quero agradecer pela oportunidade, e esperar que mães como eu e você, possamos ser mais compreendidas pela sociedade. Possamos ser mais apoiadas. E tanto falo no Brasil como em Portugal, porque infelizmente procurei aqui uma associação, qualquer coisa pra mães em luto, e infelizmente os poucos que encontrei, um foi formado por próprias mães, que fazem cada dia as reuniões em suas casas, e outro deles cobraria por uma consulta particular ou reunião de grupo. Uma vergonha e uma tristeza muito grande.
Bem haja pra esse projeto “DO LUTO À LUTA”.
E um beijinho no coração de todas essas mamães guerreiras.

Depoimento enviado pela mãe Andreia
Anúncios

2 comentários em “Ser mãe de um anjo

  1. Olá Andreia, sinto muito por todas as dificuldades e pelo seu sofrimento! Eu acompanhei minha melhor amiga em uma situação semelhante e realmente sei que a dor é insuportável e a frieza dos médicos corta a alma, mas você não está só! Existem muitas pessoas numa forte corrente de amor para tentar trazer um pouco de alívio, um pouco de compreensão, um pouco de compaixão para mães como você! Que bom que dividiu um pouco da sua história conosco! Tenho certeza que isso ajuda a tornar o fardo um pouco mais leve. Nunca desusta de ser feliz!!! Grande e forte abraço.

    Curtir

    1. Ola eu sinto muito andreia,eu sei que e difícil. Perder um filho pq eu tambem perdi meu filho ele tava pra nascer tambem mas morreu antes de nascer coração dele parou de bater..afs nem imagina com eu sofro ate hoje meu primeiro filho …tem 1 qno e 4 meses q ele se foi..entao e dificil perde alguem q a gente ama tanto…mandei fazer autópsia. Deu pré eclamps foi que levou meu filho..mas por outro lado foi negligência do médico pq qdo ele disse q a minha pressao tava alta ele passou remedio e me mandou embora pra casa…eu senti q ele nao tava mais mexendo foi qdo fui no médico fiz ultrasson coração dele parou de bater..fiquei louca…tive depressao mas meu marido nao deixou ele me fez fica feliz de novo me tentava reanimar me fazer feliz pra nao me deixar triste e sò. .mas vou começa fazer tratamento se Deus quiser pra ter outro…entao andreia sei q e dificil perder um bebe ..mas calmavai dar tdo certo pra vc tenta fazer tratamento deus esta contigo ele vai te acompanhar sempre….deus te abençoe….

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s