Anjo Cecília

Bom eu me chamo Lívia e tenho 34 anos estou casada com o Marquinho a quase 7 anos. O nosso sonho era que Deus nos dessa a graça de sermos pais, porém já havia um tempo que estávamos querendo engravidar e não estava conseguido devido ao ovário policísticos, até que estava no consultório da minha nutricionista e havia comentado a ela que me deu muita vontade de tomar sorvete e ela me questionou se poderia estar grávida, disse a ela da minha dificuldade e que minha menstruação ficava vários meses sem vir, mesmo assim me convenceu de realizar o exame, no mesmo dia no final da tarde o tão esperado resultado, foi positivo, eu estava grávida, a alegria tomou conta do meu ser, não sabia se chorava ou se sorria de alegria, chegando do trabalho comprei um sapatinho vermelho para dar a surpresa para meu esposo, momento único de nossas vidas.
Na mesma semana fui ao médico e ao me examinar disse que acreditava que já estava com um tempinho bom de gestação e não sabia, neste dia pude escutar o coraçãozinho do meu anjinho, quanta emoção, pena que meu marido estava viajando, sai do consultório liguei para ele chorando da imensa alegria que estava sentindo, ele chorou no telefone.
Na próxima semana fiz o ultrasom e a notícia feliz e também outra preocupante, a feliz é que estávamos gravidos de uma linda menininha, tudo constanto que o desenvolvimento dela estava ótimo, porém a tristeza que o meu colo do útero estava muito fino e que a partir daquele momento era repouso absoluto, liguei para meu médico desesperada ele disse para ir ao hospital no outro dia no final da tarde de jejum que provavelmente teria que fazer um procedimento chamado cerglagem, a preocupação era demais, estava com tanto medo, meu marido me dando força e falando que tudo iria dar certo, assim passou a noite e no outro dia no final da tarde chego ao hospital e meu médico me examina a joga uma bomba atômica em nós dizendo que meu colo do útero ja teria aberto que agora era esperar o aborto, me desesperei pedi para ele me da outra solução, mesmo se houvesse pouca esperança, ele disse que poderia fazer o procedimento da Cerglagem, porém quando fosse costurar o colo do útero poderia pegar na plascenta e ela estourar, eu disse que queria arriscar que tinha muita fé que isso não ocorreria, fiz o procedimento e com a graça de Deus o médico conseguiu fazer, fiquei 7 dias internada para tomar antibiótico para não ter perigo de nenhuma infecção, após esses dias ele me deu alta e pediu repouso, eu levantava só 1 vez para tomar banho e fazer minhas necessidades, o xixi era pela comadre, fiquei 14 dias assim. Comecei a sentir minha pricensinha que já tinha até o nome que o papai deu Cecília, ela estava sempre mechendo as vezes era tanto que falava com ela para mecher menos pois tinha muito medo dos pontos estourarem, esses dias que pude sentir ela e vivenciar a barriga crescendo foi maravilhoso. Já estava no 5 mês de gestação, agradeci a Deus por viver aquele momento tão sonhado.
No dia 2 e Dezembro de 2015 comecei a passar mal estava saindo um líquido estranho e minha barriga ficando dura, liguei para o médico e ele falou que se não melhorasse era melhor ir ao hospital e assim fiz, chegando lá outra médica me examinou e disse que o ponto havia estourado e que já estava em trabalho de parto, meu mundo caiu, não tinha mas nada o que fazer, que sofrimento. Cada vez mais as dores do parto vinham mais fortes e eu fazia mais força para segurar a minha bebê até que o meu médico chegou e disse a notícia mais triste de toda as nossas vidas, que não teria jeito e que eu teria que deixar o meu anjinho nascer, depois disso não passou 5 minutos e minha pequena nasceu por parto normal no quarto do hospital, o médico e a enfermeira saiu correndo levando ela na CTI Neunatal e eu tive que ir para o centro cirúrgico para fazer a curetagem, não tinha mais chão, até que na hora que estava na sala de recuperação a enfermeira disse que minha pequena estava respondendo ao CTI nesta momento estava louca para sair daquela sala e falar para meu esposo olhar ela e ficar com ela. Chegando no quarto a primeira coisa que falei era para meu esposo correr lá na CTI que a nossa Cecília estava lá, passou um tempinho ele chegou com uma carinha e eu perguntei a ele o que a pediatra disse, ele não queria falar, até que não conseguiu e me disse que a pediatra falou que não tinha mais jeito que a nossa princesinha nao respondeu ao oxigênio e se eu queria que ela fosse despedir de nós, eu disse que queria muito ela chegou no quarto e pela primeira e última vez eu pude pegar a minha princesinha tão pequininha e tão amada, não contive fiz tanto carinho dei beijinhos, rezamos e entregamos o nosso anjinho para o papai do céu cuidar e tenho fé que quando chegar a hora encontraremos ela novamente no céu, pois lá é a sua morada e nós seus pais aqui na Terra tem que fazer de tudo para sermos seres humanos melhores para conseguir chegar no céu também. Fizemos o velório e o enterro e não me arrependo de nada, pois foram momentos que pude ficar a mais com nosso anjinho, acredito que toda mãe que viver essa perda é necessário viver esses momentos, muitas pessoas falaram que era melhor não que ficaria em minha memória coisas ruins que ja estava fraca e na verdade estar com ela me fez só bem, não me arrependo hora nenhuma por ter escolhido velar e sepultar minha filha.
Hoje percebo o quanto é sublime o dom da maternidade e paternidade, esse amor não tem como dizer a dimensão somente sentimos, agradeço a todo momento por Deus nos ter permitido viver tudo isso, foi triste saber que não teremos a Cecília com a gente fisicamente mas dentro de nós será eterna, neste período percebi o marido que tenho do meu lado: companheiro, amoroso, cuidadoso e esteve a todo tempo com a gente, verdadeiramente estava ” gravido ” comigo porque viveu tudo que vivi e sentiu tudo também, se já o amava hoje amo mais ainda.
Hoje 2 de Março faz exatamente 3 meses que a Cecília veio ao mundo e também foi embora para junto de Deus é um dia muito triste por nao estar com ela fisicamente e também feliz por saber que tenho um anjinho intercedendo a Deus pelos seus pais aqui na Terra, a se alguém me perguntar você é mãe eu sempre direi que sou sim, sou mãe de um anjinho mais lindo que vive junto de Deus.

— comMarco Antônio de Sousa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s